Faça um diagnóstico de segurança de sua casa gratuitamente

Numa altura em que se espera pela divulgação dos dados relativos aos assaltos a habitações em 2009, que devem ser divulgados até final deste primeiro trimestre do ano, é a altura certa para recordar os números de 2008, para efectuar as devidas comparações e tirar as correspondentes elações.

De acordo com as autoridades portuguesas, mais de 30 mil casas foram roubadas no decorrer desse ano, o que representa uma média de três casa por hora, num país com cerca de 11 milhões de habitantes e um número indeterminado de habitações, quer desocupadas, quer habitadas. Por isso, e porque nos tempos que correm é urgente tomar as precauções necessárias para evitar que a sua casa seja a próxima a “receber” a visita dos amigos do alheio, faça o quanto antes um diagnóstico de segurança à sua casa.

Lembre-se, não será uma perda de tempo, bem pelo contrário, permitir-lhe-á ganhar tempo aos larápios e passar-lhes à frente naquilo que eles tentam violar: a segurança da sua habitação.

Análise de segurança gratuita
Uma das formas de avaliar o estado de segurança, ou insegurança da sua casa, é recorrer a simples ferramentas que as empresas facultam nos seus websites. Um desses exemplos é a última aposta da Prosegur, que tem disponível na sua página, um novo teste que permite a qualquer pessoa realizar uma análise de segurança grátis à sua casa.

Desenvolvido para a Prosegur Activa, o diagnóstico de segurança da sua habitação pode ser feito em passos bastante rápidos e de forma muito acessível. Para correr o teste, basta preencher os campos personalizados que dizem respeito ao seu concelho e tipo de habitação a que pretende efectuar a análise gratuita de segurança. Neste critério, poderá optar pelas várias alternativas apresentadas: apartamento, vivenda, casa de campo isolada, estabelecimento comercial ou empresa. Para concluir o diagnóstico de segurança gratuito à sua casa, basta posteriormente indicar o elemento de segurança de que já dispõe, entre as opções de porta blindada, grades nas janelas, porteiro ou luzes de detecção. Finalmente, clique em “medir já” e saiba o estado de segurança da sua habitação. Em pouco mais de dois minutos ficará a saber, de forma totalmente gratuita, o estado de segurança da sua casa.

O mais adequado para a sua casa
A melhor forma de proteger uma habitação passaria pela junção do conjunto de elementos disponíveis para garantir a segurança desta e de todos aqueles que nela habitam. No entanto, nem sempre isso é possível e, na maioria dos casos em Portugal, é uma alternativa que está totalmente fora de questão. Para isso, é necessário uma boa parte de um orçamento disponível ou, o que será mais adequado, escolher a melhor empresa: a que oferece o melhor e mais acessível orçamento, numa avaliação global preço/qualidade.

De forma a melhorar a protecção da sua casa, deixamos em seguida alguns conselhos relativamente a cinco elementos cruciais de segurança, que explicamos sucintamente e sobre os quais apresentamos algumas vantagens e/ou desvantagens.

  • Câmara de vigilância. São uma grande mais-valia, mas geralmente fazem jus ao ditado “casa roubada, trancas à porta”. Ou seja, serve para captar e gravar os movimentos dos ladrões, sem que possuam a capacidade de proibir que estes assaltem a sua casa, a menos que alguém incumbido da responsabilidade de vigiar as imagens, alerte as autoridades. A outra opção é um porteiro ou câmaras de vigilância inteligentes, estas últimas ainda demasiado caras para a carteira da maioria dos portugueses.
  • Grades nas janelas. Este é um dispositivo de segurança que terá de ser necessariamente combinado com outros. Caso opte por este elemento, o ideal é fazê-lo acompanhar por uma boa porta blindada. Em conjunto, a expressão “trancas à porta” ganha novo significado e torna bastante difícil a penetração dos larápios em sua casa, sem a sua autorização. Aqui, o combinado é a chave do sucesso.
  • Luzes de detecção. São o mais usado dos elementos de segurança. Porém, é igualmente o mais ineficaz, mas tem uma grande vantagem, é o mais barato. São estas as características que levam à sua predilecção por parte das pessoas, que devem, no entanto, ter em atenção que este simples dispositivo é inútil se não estiver a ser complementado por outro elemento de segurança.
  • Porteiro. É o elemento humanos é sempre importante, mas por si só acaba por ser ineficaz, por mais profissional que seja ou procure ser. Por esse motivo, é indispensável que possa contar, pelo menos, com a ajuda das câmaras de vigilância e/ou luzes de detecção, que são baratas e complementam bastante bem o “kit básico de segurança”;
  • Porta blindada. O ideal era as portas para o exterior serem blindadas e com diversos dispositivos de fecho, bem como uma trave sólida a rodear todos os limites da porta. Mesmo com esta segurança, não é de ignorar a colocação de dobradiças de qualidade, fechaduras e trancas resistentes, bem como outros mecanismos deste género.

Faça já um diagnóstico de segurança:


Comentar

Fechar
E-mail It